Palavrão

Théo, com 3 anos e pouco, dia desses surpreendeu sua mãe dizendo:
– BUNDA!
 Depois de uma leve repressão, ele se defendeu:
– Mamãe, mas BUNDA é um palavrão simples.

– Como assim, filho? Quem te falou essa história de “palavrão simples”- quis saber sua mãe.

– Eu, mamãe, porque tem outros palavrões que não são simples e são MUUUITO feios.

Com medo da resposta, ainda assim sua mãe perguntou:
– Quais por exemplo, Théo?
 
E ele prontamente repondeu:

CALABOCA. Calaboca é um palavrão não-simples!

Do contra total

Diálogo na casa da Bebel, quando ela tinha 1 ano e 8 meses:
Mãe: – Bebel, quer passear?
Bebel: – Passear, não.

Pai: – Quer ficar em casa?

Bebel:  – Em casa, não.
Mãe: – Quer dormir?
Bebel: – Dormir, não.
Pai: Quer brincar?
Bebel: Brincar, não.

Mãe: – Mas você só fala não? Fala “sim” também!

Bebel: Sim, não!

Sinceridade master

Téo, com 5 anos, foi visitar seu bisavô, que, todo orgulhoso, quis mostrar o quartinho de ferramentas para o bisneto. Durante a visita, o biso perguntou:

– E aí, o que achou, Téo?

E ele respondeu:

– Nossa… quanta coisa velha!

Outro dia, Téo chegou bem na hora da soneca do biso e logo falou:

– Você só nana? Vai trabalhar!

Casa Notável!

Quando tinha uns 3 anos, o Diego foi com os avós pra casa de campo de amigos da família.
Era uma casa muito luxuosa e todos estavam curtindo as mordomias.
Em um dos dias, durante um banho de piscina, Diego ficou tão entusiasmado com o conforto do lugar, que disse:
– Nossa Vô, essa casa é muito otávia, né?”