Ioiô

Com três anos, Vaninha estava brincando com um ioiô japonês, aquele que é um papel encerado e enrolado em um palito e que só se mantém assim enrolado se for preso por um elástico, pois a qualquer movimento ele se desenrola e forma um canudo.
Depois de esticar várias vezes o ioiô, enrolou no palito para guardar, mas o rolinho de papel não parava firme porque ela não tinha nada com que prender. Depois de várias tentativas, reclamou:
– Ô mãããããe, o meu ioiô só tá cochichando.
– Cochichando Vaninha? Você sabe o que é cochichar?
– Sei! Quem cochicha o rabo espicha!

Vestido Fashion

A mãe da Julia tinha uma festa para ir e permitiu-se uma extravagância naquele mês: comprou um vestido digno de premiação do Oscar.
– Olha, filha, que lindo o vestido que a mamãe comprou!
Julinha concordou, mas não demonstrou muito interesse, estava mais entretida com a sua brincadeira de recortar bonequinhas de papel.
Já no inicio da noite, sua mãe estranhou o prolongado silencio da casa e achou melhor ir ver como estava a filha.
– Ju, o que você esta fazendo, amor?
– Brincando de recortar, mamãe.
– Ainda, filha? Nossa, você gostou mesmo desse negocio de recortar bonequinhas, hein?
– Não, mamãe, agora eu estou brincando de costureira. Olha só os bolsos que eu recortei no seu vestido! Agora ele ficou muito mais lindo!!

Apostas e Rock and Roll

Miguel tornou-se um frequente colaborador do blog (eba!) e semana passada envolveu-se com jogos de aposta e músicas barulhentas:

Corrida
– Mamãe, vamos apostar corrida? – pergunta o rapazinho.
– Não, filho, a mamãe está com preguiça.
– Mas então, vamos correr sem apostar?

Rock pesado
No meio da brincadeira, Miguel começou a gritar e fazer gesto com a mão na altura da barriga, como quem toca uma guitarra.
– Tá tocando rock, filho? – pergunta sua mãe.
E ele responde empolgado:
– É um rock muito roll, mamãe.

É meu?

Marina é a filha caçula de três irmãos. Certa vez, quando ela tinha uns quatro anos e a família toda se arrumava para fazer uma visita, sua mãe pediu:

– Filha, penteia o cabelinho que daqui a pouco vamos à casa do Seu Jaime.
Marina se penteou e ficou bem arrumadinha, mas os irmãos e os pais estavam demorando muito, então, ela resolveu intervir:
– E aí? Mas que horas nós vamos na casa do Meu Jaime?