Diversas do Gael 2

Gael, agora com 2 anos e 5 meses, vai ganhar um cartão fidelidade aqui do blog 🙂

Empréstimo
Gael: – Esse mamá é meu!
Sua mãe: – Não senhor! Esse mamá é meu!
Gael: – Mai você empéta ele pa mim então?



Loiro bonitão
– Eu apaêço o Bed Pit. 


Crise de identidade
 – Eu um elfo piloto de banana!
  


Gerenciando as tarefas domésticas
– Filho quer descer, não vai mais comer?
– Não, eu não quélo mai papá.
– Tá bom, deixa eu te limpar…
Puquê?
– Porque você tá sujo, caiu comida aqui, olha.
Ímpa o Gael e ímpa a pia também!
 
 

Palavra Mágica

Thaís, com três anos, passava o dia no sítio de sua avó. Depois de brincar e correr para lá e para cá, ela entra apressada na cozinha e diz, um pouco autoritária:
– Quero água!
Sua avó, um tanto incomodada responde:
– Como é que se fala?
– Quero água!
– Não, Thaís, qual é a palavrinha mágica?
Thaís franze a testa, pensa por alguns segundos e muito animada responde:
– Ah, ABRACADABRA!!!

Metaletras

– Mãe, as letras formam as palavras, né? – pergunta Theo com quatro anos e nove meses.

– Sim. – responde sua mãe.

– Mas existe letra dentro das letras, né?

– Como assim?

– Por exemplo, “H”(soletra), “A-GÁ”! Dentro do “H” tem “A”!

letrah

(imagem: portaldoprofessor.mec.gov.br)

Chocolate desobediente

Ceci, com 1 ano e 11 meses, acabou de conhecer o sabor dos chocolates e ganhou um bombom do avô. Sua mãe logo explicou:

– Ceci, agora não. Só depois do jantar.

Passado um tempo, a mãe desconfia do silêncio e vai até a sala ver o que está acontecendo.
Quando chega vê a menina abrindo o bombom não autorizado… Ceci, ao perceber a presença da mãe, joga o chocolate longe e diz com cara de brava:

Cocoiate, fica aí!!!!!

cocoiate

O que é importante

Na escola de Felipe, em todo início de ano, são feitas algumas listas com as crianças, registrando “o que vamos aprender”, ou simplesmente as “regras gerais” combinadas previamente com os alunos, desde os três anos de idade.
Foi em um momento de retomada de uma dessas listas que a professora de Felipe falou:

– Então pessoal, vamos lembrar os nossos combinados?

1) Levantar a mão para falar”.

2) Ouvir o que o amigo diz, em silêncio” – Isso é muito importante, não é pessoal?

– SIM! – respondem todos animados.

– Bom, vamos continuar:

3) Lavar as mãos antes de tomar o lanche”. Isso também é importante?

– SIM – novamente em uníssono…

– 4). Ah, essa também é muito importante. “Não bater no amigo”.

Neste momento, Felipe levanta a mão, demonstrando muita ansiedade para falar.

– O que foi Felipe, você quer falar alguma coisa?

– Professora, sabe o que é muito importante nessa vida?

– O quê?

– O que é mais importante, é não levar chineladas!